5 facts that will make you rethink the power of Deterrence

 

O mundo está passando por mudanças constantemente, a tecnologia mudou drasticamente o modo como nos alimentamos, nos comunicamos e nos movemos de um lugar para o outro. No entanto, problemas antigos como o crescimento urbano massivo sem planejamento, a escassez de recursos naturais e mudanças climáticas ainda persistem sem uma solução definitiva. Em razão  disso, o poder público busca alternativas para amenizar essas as consequências, dentre elas, o investimento em cidades inteligentes.

Os pilares de uma cidade inteligente é, de modo grosseiro, dividido em três partes: Internet das coisas ou IOT (a conexão de sensores por meio da internet), Big Data (processamento e análise de grandes quantidades de informação) e Governança Algorítmica (gestão e planejamento com base em ações construídas por algoritmos aplicados à vida urbana).

Imagem aérea de Toronto

Toronto- Canada 

Temos grandes exemplos de cidades inteligentes ao redor do mundo. O que diferencia algumas delas como Londres e Toronto para as outras como Curitiba e Mendelín é a implementação de plataformas de gestão de dados que ajudam a prever problemas futuros. A cidade de Toronto, por exemplo, tem a expectativa de que sua população aumente em 35% nos próximos 25 anos. Em razão disso, a cidade planeja construir novas zonas de habitação para prevenir uma futura crise populacional.

 

Sistema de Transporte de Curitiba

Estação Central de Curitiba. 

Já Curitiba no Paraná enfrentava uma grande crise populacional por conta do êxodo rural que faziam pessoas abandonarem o campo e migrar para cidade, por isso autoridades em 1970 resolveram criar um plano de sistema de transporte chamado de RIT(Rede integrada de transporte) e colocaram como prioridade a qualidade de vida e a preservação ambiental. A partir desse objetivo, praças verdes, bem urbanizadas e uma infraestrutura em mobilidade que alcança 1.751.907 milhões de pessoas foram implantados. Além disso, Curitiba agora possui uma frota de transporte público totalmente sustentável chamado de “Ecoelétrico”, que diminui a emissão de gás carbono, transformando a cidade em uns dos maiores cases de cidades inteligentes da América Latina.

Um outro grande exemplo de solução testada no ano de 2019 no Brasil foi durante o carnaval de Belo Horizonte, onde 2 balões cativos foram aplicados com o intuito de garantir a organização e segurança do evento. Imagens capturadas por câmeras acopladas aos balões foram transmitidas em tempo real para a Central de Operações, sendo utilizadas por diversos órgãos e secretarias da Prefeitura, os auxiliando na tomada de decisões e na melhor gestão de seus recursos. Um modo efetivo de atender a demanda de transportes públicos para foliões, de informar o corpo de bombeiros e a polícia militar sobre pontos de atenção, e por fim, auxiliar os agentes de limpeza com a indicação de zonas críticas para atuarem de forma cirúrgica e rápida. Um evento como este é a prova de que as Smart cities são o futuro de uma gestão pública mais eficiente, que não desperdiça recursos e que se antecede aos fatos. 

Posted in Sem categoria.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *